Vídeo: A História das Coisas

Animação “A História das Coisas” nos ajuda a pensar sobre o sistema capitalista, meio ambiente, consumo, obsolescência programada e muito mais.

O Story Of Stuff Project é um projeto que divulga animações com temas muito importantes tais como: a história das coisas (que consumimos), a história dos eletrodomésticos, a história da água engarrafada, história dos créditos de carbono, entre outros. Continuar lendo

Transgênicos causam três vezes mais câncer em camundongos

Sobre transgênicos, essa praga que assola nosso país.
Em tempo, segundo Paulo Paes de Andrade (Depto. Genética/ UFPE Recife PE):

Este artigo, publicado em setembro de 2012, foi amplamente refutado pela comunidade científica. Seu autor é um notório opositor à tecnologia dos transgênicos na agricultura e seus resultados, inteiramente irrelevantes e fruto de um experimento extremamente mal desenhado, foram amplamente refutados pela comunidade científica, aqui e pelo mundo a fora.
Sugiro a leitura dos links abaixo.

http://genpeace.blogspot.com.br/2012/10/brazil-officially-rejects-seralinis.html

http://genpeace.blogspot.com.br/2012/10/seis-academias-cientificas-francesas_9343.html

http://genpeace.blogspot.com.br/2012/11/fim-da-polemica-dos-ratos-com-tumores.html

Portanto, leia com o olhar crítico, sabendo que a comunidade científica não aprovou os experimentos desse autor.  Porém, podem existir verdades no discurso, logo, quando se tratar de transgênicos leiam bastante a respeito.

Aedes Aegypti: conheça a história da Dengue

Artigo interessante.
🙂

Eco4u

Aedes_aegyptiAs primeiras referências à dengue no Brasil remontam ao período colonial. Em 1865 foi descrito o primeiro caso de dengue no Brasil, na cidade de Recife. Sete anos depois, em Salvador uma epidemia de dengue levou a 2.000 mortes. Em 1846, a dengue é considerada como epidêmica, atingindo vários Estados, como Rio de Janeiro e São Paulo. Até 1916, São Paulo foi atingido por várias epidemias de dengue.

O transmissor da dengue, o mosquito Aedes aegypti, tem origem africana, tendo sido reconhecido pela primeira vez no Egito – daí o seu nome. Ele chegou ao Brasil nos navios negreiros – ele se reproduzia nos depósitos de água dos barcos nas viagens da África para cá.

O vírus da dengue, provavelmente, se originou de vírus que circulavam em primatas na proximidade da península da Malásia. O crescimento populacional aproximou as habitações da região à selva e, assim, mosquitos transmitiram vírus…

Ver o post original 683 mais palavras

A cura através dos alimentos a 30.000 anos

Uma equipe internacional de investigadores de Universidade Independente de Barcelona (Espanha) e da Universidade de York (Reino Unido), forneceu a primeira evidência molecular de que os homens de neandertal ((Homo Neanderthalensis) comiam uma variedade grande de alimentos vegetais cozidos e sabiam também seus valores nutricionais e qualidades medicinais. Continuar lendo

Caverna na Namíbia revela registros antigos de animais domésticos

Explorando uma caverna da Namíbia, arqueólogos encontraram as evidências mais antigas de animais domesticados na África subsaariana.

A caverna, que fica na região noroeste do país, contém ferramentas de pedra e ossos, contas e pingentes, pedaços de cerâmica e ossos de vários animais – galinha, avestruz, lagarto-monitor, tartaruga, impala, damão-do-cabo e diversos roedores.

Os pesquisadores também descobriram dois dentes que podem ser de cabra ou carneiro – eles estão gastos demais para permitir a diferenciação, mas o formato condiz com dentes de cabras e carneiros domésticos africanos da atualidade. Atualmente, não existem carneiros ou cabras selvagens na África subsaariana. Embora algumas espécies selvagens talvez tenham sido extintas há aproximadamente 12 mil anos, não há evidências de sua presença na região oeste do continente. Os pesquisadores estão certos de que os restos mortais encontrados pertencem a animais domésticos.

Os dentes têm 2.190 e 2.270 anos. Os restos mortais mais antigos até agora, datados por radiocarbono, são de um carneiro de 2.105 anos descoberto na África do sul.

O estudo é uma colaboração entre o Museu Nacional da Namíbia e o Museu de História Natural de Paris e está publicado no periódico PLoS One. Principal autor do estudo e professor adjunto do museu parisiense, David Pleurdeau afirmou que a descoberta não significa necessariamente que a população que morava próximo a esse sítio criava animais domésticos.

“Não há evidências na caverna de que os residentes eram pastores”, afirmou. “Não sabemos ainda se eles eram pastores que migraram para a região ou um grupo local que introduziu alguns carneiros.”

Fonte:http://www.anda.jor.br/31/07/2012/caverna-revela-registros-antigos-de-animais-domesticos

Vídeo: Abuela Grillo

Esta animação foi produzida no The Animation Workshop, em Viborg, Dinamarca, pelo The Animation Workshop, Nicobis, Escorzo, e a Comunidade de Animadores Bolivianos, que tem o apoio do Governo da Dinamarca.

Animado por 8 animadores bolivianos, dirigido por um francès, música principal “Chillchi Parita” composta e cantada por Luzmila Carpio, embaixadora da Bolivia na França, outras composições e  arranjos por Pablo Pico. Continuar lendo